CAG – Câmara de Agricultura

3.07.00.00-0 – ENGENHARIA SANITÁRIA

3.07.01.02-3 – TECNOLOGIA E PROBLEMAS SANITÁRIOS DE IRRIGAÇÃO

5.01.00.00-9 – AGRONOMIA
5.01.01.00-5 – CIÊNCIAS DO SOLO
5.01.01.01-3 – GENESE, MORFOLOGIA E CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS
5.01.01.02-1 – FISICA DO SOLO
5.01.01.03-0 – QUIMICA DO SOLO
5.01.01.04-8 – MICROBIOLOGIA E BIOQUIMICA DO SOLO
5.01.01.05-6 – FERTILIDADE DO SOLO E ADUBAÇÃO
5.01.01.06-4 – MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO
5.01.02.00-1 – FITOSSANIDADE
5.01.02.01-0 – FITOPATOLOGIA
5.01.02.02-8 – ENTOMOLOGIA AGRICOLA
5.01.02.03-6 – PARASITOLOGIA AGRICOLA
5.01.02.04-4 – MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA
5.01.02.05-2 – DEFESA FITOSSANITÁRIA
5.01.03.00-8 – FITOTECNIA
5.01.03.01-6 – MANEJO E TRATOS CULTURAIS
5.01.03.02-4 – MECANIZAÇÃO AGRICOLA
5.01.03.03-2 – PRODUÇÃO E BENEFICIAMENTO DE SEMENTES
5.01.03.04-0 – PRODUÇÃO DE MUDAS
5.01.03.05-9 – MELHORAMENTO VEGETAL
5.01.03.06-7 – FISIOLOGIA DE PLANTAS CULTIVADAS
5.01.03.07-5 – MATOLOGIA
5.01.04.00-4 – FLORICULTURA, PARQUES E JARDINS
5.01.04.01-2 – FLORICULTURA
5.01.04.02-0 – PARQUES E JARDINS
5.01.04.03-9 – ARBORIZAÇÃO DE VIAS PUBLICAS
5.01.05.00-0 – AGROMETEOROLOGIA
5.01.06.00-7 – EXTENSÃO RURAL
5.02.00.00-3 – RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL
5.02.01.00-0 – SILVICULTURA
5.02.01.01-8 – DENDROLOGIA
5.02.01.02-6 – FLORESTAMENTO E REFLORESTAMENTO
5.02.01.03-4 – GENETICA E MELHORAMENTO FLORESTAL
5.02.01.04-2 – SEMENTES FLORESTAIS
5.02.01.05-0 – NUTRIÇÃO FLORESTAL
5.02.01.06-9 – FISIOLOGIA FLORESTAL
5.02.01.07-7 – SOLOS FLORESTAIS
5.02.01.08-5 – PROTEÇÃO FLORESTAL
5.02.02.00-6 – MANEJO FLORESTAL
5.02.02.01-4 – ECONOMIA FLORESTAL
5.02.02.02-2 – POLITICA E LEGISLAÇÃO FLORESTAL
5.02.02.03-3 – ADMINISTRAÇÃO FLORESTAL
5.02.02.04-9 – DENDROMETRIA E INVENTARIO FLORESTAL
5.02.02.05-7 – FOTOINTERPRETAÇÃO FLORESTAL
5.02.02.06-5 – ORDENAMENTO FLORESTAL
5.02.03.00-2 – TÉCNICAS E OPERAÇÕES FLORESTAIS
5.02.03.01-0 – EXPLORAÇÃO FLORESTAL
5.02.03.02-9 – MECANIZAÇÃO FLORESTAL
5.02.04.00-9 – TECNOLOGIA E UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FLORESTAIS
5.02.04.01-7 – ANATOMIA E IDENTIFICAÇÃO DA PRODUTOS FLORESTAIS
5.02.04.02-5 – PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DA MADEIRA
5.02.04.03-3 – RELAÇÕES AGUA-MADEIRA E SECAGEM
5.02.04.04-1 – TRATAMENTO DA MADEIRA
5.02.04.05-0 – PROCESSAMENTO MECANICO DA MADEIRA
5.02.04.06-8 – QUIMICA DA MADEIRA
5.02.04.07-6 – RESINAS DE MADEIRAS
5.02.04.08-4 – TECNOLOGIA DE CELULOSE E PAPEL
5.02.04.09-2 – TECNOLOGIA DE CHAPAS
5.02.05.01-3 – HIDROLOGIA FLORESTAL
5.02.06.00-1 – ENERGIA DE BIOMASSA FLORESTAL
5.03.00.00-8 – ENGENHARIA AGRÍCOLA
5.03.01.00-4 – MAQUINAS E IMPLEMENTOS AGRICOLAS
5.03.02.00-0 – ENGENHARIA DE ÁGUA E SOLO PARA FINS AGRÍCOLAS
5.03.02.01-9 – IRRIGAÇÃO E DRENAGEM
5.03.02.02-7 – CONSERVAÇÃO DO SOLO E ÁGUA
5.03.03.00-7 – ENGENHARIA DE PROCESSAMENTO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS
5.03.03.01-5 – PRÉ-PROCESSAMENTO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS
5.03.03.02-3 – ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS
5.03.03.03-1 – TRANSFERÊNCIA DE PRODUTOS AGRÍCOLAS
5.03.04.00-3 – CONSTRUÇÕES RURAIS E AMBIÊNCIA
5.03.04.01-1 – ASSENTAMENTO RURAL
5.03.04.02-0 – ENGENHARIA DE CONSTRUÇÕES RURAIS
5.03.04.03-8 – SANEAMENTO RURAL
5.03.05.00-0 – ENERGIZAÇÃO RURAL
5.07.00.00-6 – CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
5.07.01.00-2 – CIÊNCIA DE ALIMENTOS
5.07.01.01-0 – VALOR NUTRITIVO DE ALIMENTOS
5.07.01.02-9 – QUÍMICA, FÍSICA, FÍSICO-QUÍMICA E BIOQUÍMICA DOS ALIM. E DAS MAT.-PRIMAS ALIMENTARES
5.07.01.03-7 – MICROBIOLOGIA ALIMENTOS
5.07.01.04-5 – FISIOLOGIA PÓS-COLHEITA
5.07.01.05-3 – TOXICIDADE E RESÍDUOS DE PESTICIDAS EM ALIMENTOS
5.07.01.06-1 – AVALIAÇÃO E CONTROLE DE QUALIDADE DE ALIMENTOS
5.07.01.07-0 – PADRÕES, LEGISLAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE ALIMENTOS
5.07.02.00-9 – TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
5.07.02.02-5 – TECNOLOGIA DE PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL
5.07.02.03-3 – TECNOLOGIA DAS BEBIDAS
5.07.02.04-1 – TECNOLOGIA DE ALIMENTOS DIETÉTICOS E NUTRICIONAIS
5.07.02.05-0 – APROVEITAMENTO DE SUBPRODUTOS
5.07.02.06-8 – EMBALAGENS DE PRODUTOS ALIMENTARES
5.07.03.00-5 – ENGENHARIA DE ALIMENTOS
5.07.03.01-3 – INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS DE PRODUÇÃO DE ALIMENTOS
5.07.03.02-1 – ARMAZENAMENTO DE ALIMENTOS

Grupo Unis

Missão

”Formar pessoas socialmente responsáveis, em diferentes áreas do conhecimento, contribuindo para o desenvolvimento das regiões em que atua.”

Visão

"Até 2018, ser uma Instituição de Ensino Superior que, mediante práticas inovadoras e tecnológicas, se destaca no cuidado com sua gente."

Valores Institucionais

Prestabilidade, Excelência e Inovação.

Tweets

Galeria de Fotos